Co-Redentora, Medianeira e Advogada

______________________________________________________________

 

 

______________________________________________________________

 

A Senhora de Todas as Nações pediu um quinto e último dogma Mariano de Co-Redentora, Medianeira e Advogada. Um alerta para o dogma é o único caminho possível para a verdadeira paz neste mundo degenerado, porque o dogma representaria o triunfo do Coração Imaculado e uma nova efusão do Espírito Santo. O Quinto Dogma Mariano reconheceria Maria como advogada da Humanidade perante a Santíssima Trindade, mediadora das graças que passam do Céu para a Humanidade, e Co-redentora da Humanidade. Co-redentora significa “com” em vez de “igual” a Cristo.

O Padre Amorth, exorcista principal da Arquidiocese de Roma, Itália, considerou o dogma um desafio divino para o mundo, incluindo para os prelados Católicos Romanos, para erradicar males sociais. A Humanidade não aceitou o desafio e sofreu os horrores da Segunda Guerra Mundial e do Comunismo. Deus está apresentando uma nova proposta através da Virgem Maria para erradicar males contemporaneos.

Co-Redentora é um título e um conceito teológico referindo-se ao papel de Maria na redenção, nomeadamente o seu consentimento livre para dar à luz ao Redentor, para compartilhar a sua vida, para sofrer com ele debaixo da cruz, e para oferecer o Seu sacrifício ao Pai Todo-Poderoso para redenção da humanidade. Maria tem um lugar preciso no plano da salvação: uma dignidade singular e uma veneração suprema.

Maria cooperou com Deus durante toda a sua vida. Um mediador intercede entre duas pessoas para uni-las, para conseguir uma reconciliação ou um favor. O mediador deve ser aceitável a ambas as partes; quanto mais aceitavel for para as partes, mais fácil será a mediação. Na ordem sobrenatural, as duas pessoas a serem reunidos são Deus e o homem separados pelo pecado. O papel maternal de Maria como Advogada é a nossa principal e mais poderosa intercessora diante do seu Filho divino.

Teólogos diferem acerca dos papéis de Maria como Co-Redentora, Medianeira e Advogada, por isso o dogma é urgentemente necessário para esclarecer e definir os ensinamentos do magistério ordinário de Maria. A definição de qualquer dogma acompanha uma efusão da graça de Deus.  A Madre Teresa de Calcutá escreveu: “A definição papal de Maria como Co-Redentora, Medianeira e Advogada trará graça abundante à Igreja”. O dogma aumentaria a nossa humildade para receber a graça de Deus, e iniciaria o Triunfo da Nossa Mãe Santíssima sobre Satanás. Os títulos de Maria representam as suas funções, e a proclamação solene dos títulos levaria à concessão plena da graça e de paz para o mudo.  A proclamação permitiria a máxima possível mediação a Maria para o Triunfo sobre Satanás.

A consagração do mundo, incluindo a Rússia, ao Imaculado Coração de Maria foi concluída, para cumprir o pedido de Nossa Senhora de Fátima, e permitir a poderosa intercessão da Mãe Santíssima. Ela respeita a nossa liberdade, como o Pai Eterno, mas está limitada pela nossa liberdade no seu poder de mediação e intercessão. Devemos reconhecê-la como Co-Redentora, Medianeira e Advogada para que possa exercer estas funções em O Fim dos Tempos, para cuidar das muitas crises no mundo. Supreams são as graças necessárias para uma unidade cristã autêntica, e a reafirmação da autoridade papal e Magistério para a unidade eclesial.

Apoio cresce no seio da Igreja Católica para um quinto e último dogma Mariano.  O movimento Vox Populi Maria Mediatrici coletou mais de cinco milhões de assinaturas em 157 países desde 1993.  Os títulos do dogma têm sido utilizados no ensino magisterial oficial da Igreja: o documento do Vaticano II Lumen Gentium §62 refere-se a Maria como Medianeira e Advogada, em 24 de Setembro de 1997 o Papa João Paulo II fez uma declaração convita do papel de Nossa Senhora na Redenção como Medianeira e Advogada, e em 1 de Outubro de 1997, o papa fez outra declaração convita do papel de Nossa Senhora como Medianeira. Quando este dogma for proclamado, o Triunfo do Imaculado Coração de Maria começará, e inaugurará um novo Pentecostes na Igreja.

Nossa Senhora veio a Portugal nos últimos periodos da Primeira Guerra Mundial, e à Holanda durante a última fase da Segunda Guerra Mundial. As aparições em Portugal são relevantes por avisos e previsões, e as aparições na Holanda acerca do futuro da Humanidade. As últimas aparições ofereceram um novo dogma Mariano e ajuda divina para a Humanidade se a Igreja proclamasse o dogma.

Que o Espírito Santo inspire urgentemente o Papa Francisco para promulgar o Quinto Dogma Mariano, porque Satanás está fortemente comprometido com a Perseguição aos Cristãos.  A Congregação para a Doutrina da Fé aprovou a seguinte oração.

 

“Senhor Jesus Cristo, Filho do Pai, envia-nos o teu Espírito sobre a terra. Deixe que o Espírito Santo viva nos corações de todas as nações. Que eles possam ser preservados da degeneração, do desastre e da guerra. Que a Senhora de Todas as Nações, a Virgem Maria, seja a nossa advogada.  Amém.”

 

______________________________________________________________

This entry was posted in Português and tagged . Bookmark the permalink.