Início da Vida Pública de Cristo

No início da Sua vida pública, Cristo operou muitos milagres que causaram a admiração de multidões. Com poder e autoridade, anunciou a Boa Nova, curou pessoas com várias enfermidades, incluindo cegueira e paralisia, e expulsou muitos demónios de possessos. Contudo, o Redentor nunca operou milagres em assembleias hostis que não acreditavam na Sua divindade.

Notícias sobre Jesus chegaram a Nazaré, onde residiu. Num Sábado, entrou na sinagoga e leu Isaías 61, um texto escolhido pela Providência para declarar o início da era messiânica da salvação. Cristo afirmou que Ele próprio estava a cumprir a profecia de Isaías: “Hoje a Sagrada Escritura cumpre-se na vossa presença,” disse Jesus. A mensagem causou admiração e depois fúria na assembleia, porque Jesus era Nazareno. Levaram Cristo para fora da cidade para empurra-Lo do cimo de um rochedo e matá-Lo, “mas passando por meio deles, Jesus seguiu o Seu caminho.” (Lucas 4:30) Ele tinha de anunciar a Boa Nova aos Pobres de Espírito, proclamar a libertação aos prisioneiros de Satanás e fazer milagres, antes de Se render à Sua paixão, crucifixão e morte na cruz para redimir a humanidade.

A Parábola do Semeador narra atitudes de assembleias perante a palavra de Deus. Os doze apóstolos pediram a Jesus para lhes explicar a parábola.

 

“O semeador semeia a palavra. Os que estão ao longo do caminho são aqueles em quem a palavra é semeada; e mal a ouvem, chega Satanás e tira a palavra semeada neles. Do mesmo modo, os que recebem a semente em terreno pedregoso são aqueles que, ao ouvirem a palavra, logo a recebem com alegria, mas não têm raiz em si próprios, são inconstantes e, quando surge a tribulação ou a perseguição por causa da palavra, logo sucumbem. Outros há que recebem a semente entre espinhos. Esses ouvem a palavra, mas os cuidados do mundo, a sedução das riquezas e as restantes ambições entram neles e sufocam a palavra, que fica infrutífera. Aqueles que recebem a semente em terra boa são os que ouvem a palavra, a recebem, dão fruto e produzem a trinta, a sessenta e a cem por um.” (Marcos 4:14-20)

 

A é uma preciosa virtude recebida no Batismo que permite acreditarmos em Deus … Devemos nutrir e proteger a nossa Fé, porque perder a Fé é perder a bússola para o Céu. A humildade predispõe o católico a aceitar e a viver os mistérios da fé e as suas experiências religiosas proporcionam um aumento de espiritualidade. Os humildes compreendem os mistérios da fé com o coração antes de os submeterem à inteligência para harmonia entre a emoção e a razão. “Abençoados são os pobres de espírito, porque deles é o reino dos Céus.” (Mateus 5:3)

This entry was posted in Português and tagged . Bookmark the permalink.

1 Response to Início da Vida Pública de Cristo

  1. bbom says:

    Nice one…

Comments are closed.