Temor de Deus: Reverencia e Amor Filial

______________________________________________________________

 

 

______________________________________________________________

 

O Temor de Deus é o princípio da Sabedoria e o fundamento da vida religiosa.  O Temor de Deus é um dom santificante do Espírito Santo que efetua harmonia e temor filial a Deus, e faz com que as nossas normas conformem com as de Deus.  À medida que evoluimos em conformidade com os padrões de Deus, o medo diminui e o amor aumenta.

As seguintes citações bíblicas ilustram a transição do medo para o amor:

 

“Ruína e desventura se encontram nos seus caminhos. E não conhecem o caminho da paz. Não há temor de Deus diante dos seus olhos”   (Romanos 3:16-18).

“Em certa cidade,disse Ele, havia um juiz que não temia a Deus nem se importava com os homens”   (Lucas 18:2).

“E, se invocais como Pai Aquele que, sem distinção de pessoas, julga cada um consoante as suas obras, vivei com temor durante o tempo da vossa peregrinação”  (1 Pedro 1:17).

“E a Sua misericórdia vai de geração em geração para aqueles que O temem”   (Lucas 1:50).

 “… Caríssimos, purifiquemo-nos … realizando a obra da nossa santificação no temor de Deus”   (2 Coríntios 7:1).

 “No amor não há temor, antes o perfeito amor lança fora o temor, porque o temor pressupõe o castigo e o que temenão é perfeito no amor”  (1 João 4:18).

 

O Temor de Deus permite-nos combater a nossa natureza pecaminosa, e a irreverência divina é a essência da depravação total do homem.  Cristo enviou o Espírito Santo à Igreja para conceder-nos reverência e amor filial ao Pai Celeste.  O Temor de Deus consiste no desejo de não ofendê-Lo, e a certeza de que Ele nos dará a Graça necessária para evitar o pecado.

O Pai Celestial enviou o Seu filho único ao mundo para dar-nos a prova definitiva de amor — Cristou morreu numa cruz para fazer-nos co-herdeiros do Reino de Deus. 

 

“Ninguém tem maior amor do que aquele que dá a vida pelos seus amigos”   (João 15:13).

 

A Esperança assegura-nos que vamos herdar o Reino de Deus. As nossas expectativas  estão incorporadas na esperança inalienável que somos salvos através do sacrifício de Cristo, e somos co-herdeiros do Reino de Deus.

 

“Mas ao chegar a plenitude dos tempos, Deus enviou o Seu Filho, nascido de mulher, nascido sujeito à lei, para resgatar os que se encontravam sob o jugda Lei e para que recebessemosa adopção de filhos. E, porque sois filhos, Deus enviou aos nossos corações o Espírito que clama: ’Abbá! Pai’. Portanto, já não és servo, mas filho; e, se és filho também és herdeiro, pela Graça de Deus”  (Gálatas 4:4-7).

 

______________________________________________________________

This entry was posted in Português and tagged . Bookmark the permalink.