Curas

 

Então eles foram até o lugar onde Jesus estava e disseram:

— João Batista nos mandou perguntar o seguinte: o senhor é aquele que ia chegar ou devemos esperar outro?

 Naquele momento Jesus curou muitas pessoas das suas doenças e dos seus sofrimentos, expulsou espíritos maus e também curou muitos cegos.  Depois respondeu aos discípulos de João:

— Voltem e contem a João o que vocês viram e ouviram. Digam a ele que os cegos vêm, os coxos andam, os leprosos são curados, os surdos ouvem, os mortos são ressuscitados, e os pobres recebem o evangelho. E felizes são as pessoas que não duvidam de mim! (Lucas 7:20-23).

O Catecismo da Igreja Católica afirma que “a compaixão de Cristo para com os doentes e as suas muitas curas de todo tipo de enfermidade são um sinal resplandecente de que “Deus visitou seu povo” e que o Reino de Deus está próximo. Jesus tem o poder não só de curar, mas também de perdoar pecados; Ele veio curar o homem inteiro, alma e corpo; Ele é o médico que os doentes necessitam” (1503).

Existem quatro categorias básicas de cura, a saber, a cura física: a cura da doença física e da incapacidade; cura psicológica: cura de feridas da psique, incluindo feridas emocionais; cura espiritual: isto significa, acima de tudo, a “cura do pecado” que restaura uma pessoa a uma relação com Deus; e exorcismo e libertação.

O papa Bento XVI, no seu livro, Jesus de Nazaré, escreve que “a cura é uma dimensão essencial da missão apostólica e da fé cristã em geral. Pode até dizer-se que o cristianismo é uma ‘religião terapêutica, uma religião de cura’”.

Recebe os sacramentos da Igreja, especialmente os sacramentos da Reconciliação e da Eucaristia. O ministro das curas pode encorajar os doentes a fazer o mesmo. Estas são as fontes mais poderosas de cura, incluindo o sacramento da Unção dos Doentes. O Catecismo (1509) afirma: “A Igreja acredita na presença vivificante de Cristo, o médico das almas e dos corpos. Esta presença é particularmente ativa através dos sacramentos, e de uma maneira totalmente especial através da Eucaristia, o pão que dá vida eterna e que São Paulo sugere estar ligado à saúde corporal”.

“Aos que crerem será dado o poder de fazer estes milagres: expulsar demónios pelo poder do meu nome e falar novas línguas; se pegarem em cobras ou beberem algum veneno, não sofrerão nenhum mal; e, quando puserem as mãos sobre os doentes, estes ficarão curados” (Mark 16:17-18).

Qualquer crente batizado pode rezar pelos doentes. Embora seja verdade e geralmente reconhecido que existem carismas particulares de curas atribuídos apenas a alguns, isso não deve impedir qualquer cristão batizado de orar pelos doentes.

”Existem tipos diferentes de dons espirituais, mas é um só e o mesmo Espírito quem dá esses dons.  Existem maneiras diferentes de servir, mas o Senhor que servimos é o mesmo.  Há diferentes habilidades para realizar o trabalho, mas é o mesmo Deus quem dá a cada um a habilidade para fazê-lo.  Para o bem de todos, Deus dá a cada um alguma prova da presença do Espírito Santo.  Para uma pessoa o Espírito dá a mensagem de sabedoria e para outra o mesmo Espírito dá a mensagem de conhecimento.  Para uma pessoa o mesmo Espírito dá fé e para outra dá o poder de curar.  Uma pessoa recebe do Espírito poder para fazer milagres, e outra recebe o dom de anunciar a mensagem de Deus. Ainda outra pessoa recebe a capacidade para saber a diferença entre os dons que vêm do Espírito e os que não vêm dele. Para uma pessoa o Espírito dá a capacidade de falar em línguas estranhas e para outra ele dá a capacidade de interpretar o que essas línguas querem dizer.  Porém é um só e o mesmo Espírito quem faz tudo isso. Ele dá um dom diferente para cada pessoa, conforme ele quer” (1 Coríntios 12:4-11).

This entry was posted in Português and tagged . Bookmark the permalink.